O presente estudo de O’Rourke M. A. e col. foi publicado no Journal of Clinical Oncology, doi 10.1200/JCO.2017.35.5_suppl.148.

Resumo

Antecedentes

Os efeitos tardios do câncer e de seu tratamento incluem dor, fadiga, estresse e depressão, todos mediados por disfunção autonômica. A coerência  cardíaca é uma medida estabelecida de ótima função autonômica. Ela é atingida quando o intervalo entre as sístoles cardíacas (R-R) aumenta e diminui de acordo com a frequência respiratória, num ritmo suave.

Alta coerência está associada a melhor humor, cognição, função executiva e ótima troca gasosa pulmonar. Os sobreviventes de câncer têm VFC mais baixa que os controles. A baixa VFC está associada a mortalidade precoce, inflamação e outras consequências adversas intermediárias.

O treinamento pelo biofeedback VFC melhora a coerência cardíaca, restaura a saúde autonômica e reduz os sintomas acima mencionados. O biofeedback VFC não é uma intervenção farmacológica, é barata e autossustentada. Este relatório descreve um estudo de viabilidade do biofeedback VFC no controle dos sintomas em sobreviventes de câncer.

Métodos

Num estudo clínico randomizado controlado por lista de espera, 179 pacientes foram selecionados, 35 deles foram incluídos e 31 destes completaram o protocolo. Os participantes do braço da intervenção receberam semanalmente treinamento pelo biofeedback VFC, durante até seis semanas.

Os resultados, que foram avaliados na situação basal e após a semana seis, incluíram a coerência cardíaca, mais Brief Pain Inventory (BPI), Multi-Dimensional Fatigue Inventory (MFI), Perceived Stress Scale (PSS) e Beck Depression Inventory II (BDI-II).

Os dados foram analisados usando modelos não lineares mistos para medidas repetidas (SAS Proc Mixed).

Resultados e conclusões

Os autores concluíram que “o treinamento pelo biofeedback VFC a sobreviventes de câncer é viável num ambiente clínico. Este estudo forneceu evidência preliminar que o treinamento pelo biofeedback VFC em sobreviventes de câncer melhora a coerência cardíaca, diminui a dor, a fadiga, o estresse e a depressão. Este treinamento tem potencial para controlar os sintomas em sobreviventes de câncer”.

Outros estudos multicêntricos controlados estão indicados.

Já existe disponível no Brasil uma ferramenta complementar-integrativa, o cardioEmotion, inventada e desenvolvida por mim e pela Priscila Coghi para avaliação da VFC.

Para saber mais sobre o cardioEmotion, baixe gratuitamente o e-book “Como Tornar Visível o Invisível” e/ou inscreva-se para fazer o curso do mesmo nome, que é ministrado diversas vezes por ano, em diferentes locais, por:

Prof. Dr. Marco Fabio Coghi

Pesquisador, responsável científico pelo desenvolvimento do cardioEmotion. Químico e Fisioterapeuta pós-graduado, professor convidado de diversos cursos de pós-graduação (UNICID, UNIFESP, CETCC entre outros); especialista em biofeedback cardiovascular. Palestrante nacional e internacional. Escreveu diversos e-books sobre o tema: coerência cardíaca e biofeedback. Autor de três patentes de invenção. Instrutor de Yoga pós-graduado; terapeuta Ayurveda com estágios realizados na Índia. Hipnoterapeuta. Diretor Científico da NPT – Neuropsicotronics, diretor da Clínica TAMA e da INTELECTUS Clínica e Escola.

Prof.ª Silvana P. Cracasso

Mestranda na UNIFESP em Técnicas Contemplativas. Aprimoramento em técnicas de Atenção Plena e Mindfulness para Saúde. Docente do curso de pós-graduação na UNINOVE. Pedagoga, especialista em Psicopedagogia, Dependência Química, Neuropsicologia do Desenvolvimento. Aprimoramento em Psicofarmacologia, Terapia Cognitivo Comportamental (TCC) para Desafios Clínicos; Avaliação Neuropsicológica Interdisciplinar; Neuropsicologia Clínica Aplicada à Reabilitação. Educação Emocional e Neurofisiologia das Emoções. Palestrante e formadora de lideranças em Habilidades Socioemocionais. Diretora e coordenadora de atendimento terapêutico da Clínica TAMA e Diretora da INTELECTUS Clínica e Escola.