Este estudo de O’Rourke M. A. e col. foi publicado no Journal of ClinicaL Oncology da Sociedade Americana de Oncologia Clínica, DOI: 10.1200/JCO.2017.35.5_supl.148 Journal of Clinical Oncology 35, no. 5_supl (10 de fevereiro de 2017) pág. 148.

Resumo

Antecedentes

Os efeitos tardios do câncer e seus tratamentos incluem dor, fadiga, estresse e depressão, todos mediados por disfunção do sistema nervoso autônomo (SNA). A coerência cardíaca é uma medida estabelecida da função autônoma ótima. Ela é atingida quando o intervalo R – R da frequência cardíaca aumenta e diminui com a respiração, num ritmo suave. A alta coerência esta associada à melhora do humor, da cognição da função executiva e da ótima troca gasosa pulmonar.

Os sobreviventes de câncer têm VFC mais baixa que os controles. A baixa VFC esta associada à mortalidade precoce, inflamação e outros resultados adversos intermediários. O treinamento com o biofeedback VFC melhora a coerência cardíaca, restaura e função autônoma e diminui os mencionados sintomas.

O biofeedback VFC é um procedimento não farmacológico, barato e autossustentável. Este relatório descreve um estudo sobre a viabilidade do treinamento pelo biofeedback VFC para controlar sintomas em sobreviventes de câncer.

Métodos

Num estudo randomizado e controlado por lista de espera, 179 pessoas foram selecionadas, 35 incluídas e 31 completaram o protocolo. Os participantes que estavam no braço da intervenção receberam treinamento semanal em biofeedback VFC até durante seis semanas.

A avaliação dos resultados foi realizada nas condições basais (pré) e após a semana seis (pós) e incluiu a coerência cardíaca, o Brief Pain Inventory (BPI), Multi-Dimensional Fatigue Inventory (MFI), Perceived Stress Scale (PSS) e Beck Depression Inventory II (BDI-II). Os dados foram analisados usando modelos lineares mistos para medidas repetidas (SAS Proc Mixed).

Resultados e conclusões

O treinamento pelo biofeedback VFC pera sobreviventes de câncer é viável num ambiente clínico. Este estudo forneceu evidência preliminar que o treinamento pelo biofeedback VFC em sobreviventes de câncer melhora a VFC, diminui a dor, a fadiga, o estresse e a depressão. Esse treinamento tem potencial para controlar sintomas em sobreviventes de câncer.

Estudos controlados em múltiplos locais são indicados.


Já existe disponível no Brasil uma ferramenta complementar-integrativa, o cardioEmotion, inventada e desenvolvida por mim para avaliação da VFC.

Para saber mais sobre o cardioEmotion, baixe gratuitamente o ebook “Como tornar visível o invisível” e/ou inscreva-se para fazer o curso do mesmo nome, que é ministrado diversas vezes por ano, em diferentes locais, por:

Prof. Dr. Marco Fabio Coghi

Pesquisador, responsável científico pelo desenvolvimento do cardioEmotion. Químico e Fisioterapeuta pós-graduado, professor convidado de diversos cursos de pós-graduação (UNICID, UNIFESP, CETCC entre outros); especialista em biofeedback cardiovascular. Palestrante nacional e internacional. Escreveu diversos e-books sobre o tema: coerência cardíaca e biofeedback. Autor de três patentes de invenção. Instrutor de Yoga pós-graduado; terapeuta Ayurveda com estágios realizados na Índia. Hipnoterapeuta. Diretor Científico da NPT – Neuropsicotronics, diretor da Clínica TAMA e da INTELECTUS Clínica e Escola.

Prof.ª Silvana P. Cracasso

Mestranda na UNIFESP em Técnicas Contemplativas. Aprimoramento em técnicas de Atenção Plena e Mindfulness para Saúde. Docente do curso de pós-graduação na UNINOVE. Pedagoga, especialista em Psicopedagogia, Dependência Química, Neuropsicologia do Desenvolvimento. Aprimoramento em Psicofarmacologia, Terapia Cognitivo Comportamental (TCC) para Desafios Clínicos; Avaliação Neuropsicológica Interdisciplinar; Neuropsicologia Clínica Aplicada à Reabilitação. Educação Emocional e Neurofisiologia das Emoções. Palestrante e formadora de lideranças em Habilidades Socioemocionais. Diretora e coordenadora de atendimento terapêutico da Clínica TAMA e Diretora da INTELECTUS Clínica e Escola.