Um grande número das consultas a médicos e psicólogos está relacionado direta ou indiretamente ao estresse. As técnicas de autorregulação mental e emocional, através do biofeedback cardíaco (também conhecido como biofeedback da variabilidade da frequência cardíaca – VFC ou HRV em inglês) têm demonstrado ser muito importantes e eficazes para reduzir o estresse e seus efeitos em diversas situações clínicas.

O uso destas técnicas de redução do estresse e seus efeitos melhorou a situação de marcadores chave da saúde e do bem-estar. Estudos clínicos mostraram que o uso destas técnicas aumenta a atividade parassimpática, o que resultou em redução significativa dos níveis sanguíneos de cortisol e em aumento dos níveis de DHEA (desidroepiandrosterona).

Já se demostrou que estas técnicas simples permitem que as pessoas atinjam um estado conhecido como coerência cardíaca, para lidar com sucesso com as demandas e desafios da vida moderna, levando a um bem-estar físico, emocional e psicossocial.


Um grande número de ensaios clínicos demonstrou os benefícios da coerência cardíaca na melhora de pacientes com:

  • Hipertensão arterial
  • Arritmias cardíacas
  • Distúrbios do sono
  • Abuso do uso drogas e do consumo de álcool
  • Raiva
  • Dores crônicas
  • Fibromialgia
  • Ansiedade
  • Depressão
  • Distúrbios do estresse pós-traumático (PTSD em inglês)
  • Transtorno do déficit de atenção e hiperatividade (TDAH)
  • Distúrbios alimentares
  • Outros

Fonte: https://www.heartmath.org/research/science-of-the-heart/health-outcome-studies/

Nos próximos posts veremos um resumo dos benefícios obtidos com o uso do biofeedback cardíaco em pacientes nas diferentes situações clínicas acima mencionadas.

Você sabe que no Brasil já existe uma ferramenta de biofeedback cardíaco (HRV) disponível para auxiliar no tratamento da ansiedade? Para saber mais sobre essa ferramenta chamada cardioEmotion, faça download do e-Book “Como tornar visível o invisível: visualizando as reações psicofisiológicas por meio de biofeedback”.


Sobre o autor deste post: Colunista do blog do cardioEmotion, Dr. Fernando é formado em medicina pela USP, pós graduado em administração de empresas pela FGV, possui mais de 40 anos de experiência como executivo de sucesso em empresas multinacionais do ramo farmacêutico, além de escritor e tradutor sênior.